Post sobre o progresso!

Esse post vai se tornar fixo, alem de eu pretender atualizar ele semanalmente(?) para poder manter ao menos um registro do progresso atual.


02/07/16

Livros:

1º Ano – 11/14(?)

2º Ano – 0/8(?)

3º Ano – 0/10(?)

Experimentos:

1º Ano – 0/10

2º Ano – 0/15

3º Ano – 0/23


17/07/16

Livros:

1º Ano – 12/14(?)

2º Ano – 0/8(?)

3º Ano – 0/10(?)

Experimentos:

1º Ano – 0/10

2º Ano – 0/15

3º Ano – 0/23


25/07/16

Livros:

1º Ano – 14/16(?)

2º Ano – 0/8(?)

3º Ano – 0/10(?)

Experimentos:

1º Ano – 0/10

2º Ano – 0/15

3º Ano – 0/23


Atualização semanal – 2ª Semana de março

Olá pessoas, sou eu novamente.

Sim, ai diz atualização semanal, mas já passou mais de uma semana, em prática. Mas, teoricamente, ainda estamos no prazo!

Enfim. Há uma série de coisas que tenho para avisar, então vamos por partes.

Primeiramente, sobre os problemas no site de Backup. Sim, ele existe para os que não sabem!

Eu fui informado, não por um, nem dois, mas dezessete e-mails sobre problemas quanto aos capítulos quando iam tentar entrar. Isso, sinceramente, foi uma surpresa grande, então tive de dar aquela velha conferida pra ter certeza que todos estavam lá.

Resultado: Sim, os capítulos estão todos lá, exceto, é claro, as series dropadas por ter uma tradução alternativa e yuusha ga onna, que eu pretendia re traduzir, qualquer dia desses…

Enfim. No final, os problemas surgiram porque a mudança dos links que o aKuma fez foi bem mal feita e eu estava meio ocupado para dar uma geral e fazer as páginas dos projetos.

Eu contactei o aKuma, mas como não é ele que está cuidando do site no momento, mas sim uma outra pessoa, complica…

Resultado, vou ter de tirar um tempo para abrir de um em um cerca de 300 pra cima capítulos de 3~4 novels diferentes pra organizar eles. Pode levar um ou dois dias, mas garanto que o serviço será feito.

Segundo, quanto ao que falei sobre meus projetos e afins no post passado. Bem, eu vou estar dando continuidade à ambos o SMVJ e em uma coisa que, sinceramente, eu devia ter feito antes que é re escrever JdA. Sim, eu amo aquela maldita novel, não importa o quão inexperiente de um autor eu era na época (não que isso tenha mudado nos dias de hoje.) e pretendo dar uma geral pra deixar ela mais… apresentável e com menos plotholes (ela é praticamente um campo de guerra cheio de trincheiras).

Bem, o ponto principal da história não vai mudar, nem os personagens vão mudar tanto (só quero fazer com que o Agi não pareça uma placa de papelão), mas o resto vai sofrer muitas mudanças.

Terceiro, será que irei voltar a traduzir?

Recebi ambos uma mensagem e um comentário perguntando isso e a resposta é: Talvez, quem sabe?

Não pretendo voltar agora, agora mesmo, mas talvez se alguém aparecer com uma novel supimpa (me matem por ter usado isso) lá pra junho, ai eu posso considerar.

Quarto, sala e cozinha, eu estou pensando em revisar os capítulos da Kumoko, até porque eles são meio que curtos, e os compilar em PDFs, mas isso é uma possibilidade apenas. Se eu for revisar, vai demorar pra lá de mês pra terminar.

Enfim. Isso é o que tenho para essa semana. Até o próximo contato!

Ainda vivo e ativo! – Atualização Semanal (1º Semana de Março)

Olá pessoas, já faz um tempo que não posto por aqui, não é?

Não temam, eu não me esqueci que tinha de postar algo aqui de tempos em tempos… totalmente não…

Enfim…

Para piorar, eu estava ‘ativo’ esse tempo todo por aqui, mas preferi ficar no lurk.

Mas, enfim. Sério, alguém me mate se eu falar isso de novo…

Eu estou num momento explosivamente criativo, para minha surpresa. Tanto que estou pensando em talvez voltar a ativa com JdA, porém tem suas complicações.

Como sou conhecido por me sobrecarregar e dropar coisas, preferi decidir uma coisa para focar agora e deixar as outras de lado por agora.

((Nossa, Kite, você conseguiu descobrir isso sozinho? Nossa. Eu achava que não era possível entrar Bom Senso na sua cabeça.))

Enfim (me matem)…

Não acho que uma pool vai adiantar nada (até porque não penso que um resultado conclusivo vai ser alcançado, já que quase ninguém participa de uma quando o algoz sou eu.), então só irei apresentar os possíveis caminhos que tomarei:

 

Então, tenho três Daos no momento que posso seguir.

Posso continuar no Dao das Histórias Curtas e continuar SMVJ.

Posso voltar ao Dao da Edgyness e trabalhar em JdA novamente. Porém, depois de muita, muita consideração, decidi que se fosse continuar eu iria ter de revisar a história e fazer um Remake (tho eu ainda me lembro de HnG que nunca fiz o bendito).

Ou, eu posso entrar no Dao dos Ossos e revirar o velho cadáver de tradutor que deixei para trás, quero dizer, fazer o famigerado (embora não tão esperado) Remake the Hone no Gyozuka.

 

Enfim. Isso é tudo por hora~!

Até próxima semana ou em caso de um evento extremamente sério.

Yep, capítulo…

Mais um capítulo de SMVJ… espero que me desculpem pela demora.

BTW, alguém sabe onde anda o Kuma, perdi o contato com ele e estou preocupado…

How’s ya?

Copiando e colando o que coloquei no DesCol!

Antes do capítulo, alguns avisos.
Primeiramente, desculpem pela demora, estou ajudando a Imi e o Kuma a estudar para o ENEM(motivo também de sua ausência no Shiraorismo) e acabei perdendo a noção de tempo.

Continue reading →

SMVJ de volta…

E o Reborned Kite fecha de vez…

O que significa? Dropei este projeto.

Infelizmente, Viltar perdeu minha motivação no momento, mas poderei voltar futuramente.

Enfim, SMVJ – 22

Conversa séria sobre JdA, projeto e outras coisas…

Aviso, o post é longo, porém informativo.

Ok, gente, hora de um papo sério.

Continue reading →

Ok, agora sim começamos de novo…

Finalmente comecei a produzir os esboços dos livros do segundo ano.

Continue reading →

Mais e mais coisas se acumulando…

Sinceramente, eu estou encontrando serias dificuldades em passar para o papel algumas coisas…

Mesmo assim, acho que já irei começar os livros do segundo ano este final de semana…

Enfim…

Mais plot, e algo novo, para variar.


Os Sete Heróis.

Os sete indivíduos que se juntaram a guerra entre as raças e demônios e foram um fator determinante para a vitória. Cada um deles tinha força o suficiente para se destacar dentre os outros participantes da guerra.

Além disso, foram os sete a enfrentar o Rei dos Demônios, Maennath, sendo amaldiçoados pelo mesmo em seu ultimo suspiro. Depois da guerra, cada um deles tomou seu próprio caminho, tendo de carregar a maldição deixada neles.

 

O Rei Herói
Erilyer Oraph Aerandar de Alter, o atual Rei governante do Reino Humano de Alter. Embora tenha nascido sem nenhum talento para a magia, ele excede qualquer outro dos heróis quando se trata do manuseio de armas, podendo usar qualquer uma que caia em suas mãos. Segundo integrante a se juntar ao grupo, convencido por Martholo Haldford. Portador da maldição do Orgulho.

O Mago Metálico
Martholo Haldford, um dos Sábios da Alvorada e fundador da Facção dos Artesãos Mágicos. Idealizador do grupo de heróis e responsável por convencer os outros integrantes a se juntar a ele. Depois da guerra, ele continuou sua vida como um dos administradores da Torre da Tríade até ser morto na Calamidade dos Magos. Conhecido como Mago Metálico devido ao seu estranho aparato tecnomagico, uma armadura de metal enorme carregada de magia. Portador da maldição da Gula.

O Pequeno Urso
Uma das duas crianças a se juntarem ao grupo, membro da tribo dos ursos. Talentoso na prática da alquimia, em especial na criação de homúnculos, sendo capaz de criar um em pleno campo de batalha, embora a qualidade não compense. Nunca se soube seu nome, nem sua idade exata durante a guerra, sendo considerado que tinha cerca de 7 anos sendo o mai novo dos heróis. Portador da maldição da Preguiça.

A Pequena Necromante
Uma das duas crianças a se juntarem ao grupo, uma humana. Uma das muitas crianças vendidas a guerra pelos seus pais para que pudessem sustentar seus irmãos. Tinha apenas 9 anos quando entrou no campo de batalha pela primeira vez. Depois de aprender sobre seu talento com magia e começar a praticar necromancia, se passou um ano até que fosse recrutada por Haldford. Portadora da maldição da Luxuria.

O “Ultimo Gigante”
Um mercenário de guerra. Ultimo representante de sua raça a continuar na ativa. Foi recrutado por Haldford depois que o mesmo viu a vantagem em ter ele no grupo. Um homem de personalidade forte e gentil, mas que se tornou mais obscura após a guerra. Portador da maldição da Ganancia.

O Jovem Prodígio
Mazard, um órfão e aprendiz de Martholo Haldford. Um artesão magico, um jovem promissor. Criador dos circuitos mágicos e revolucionário na área da tecnomagia. Se juntou a guerra a pedido de seu mestre, mesmo não sendo muito ligado a luta. Após a guerra, ele desapareceu por alguns anos, aparecendo novamente como precursor da Calamidade dos Magos, que resultou na morte de vários praticantes de magia, inclusive seu mestre. Portador da maldição da Inveja.

O Cavaleiro Blindado
Um cavaleiro desconhecido. Ultimo a se juntar ao grupo e de longe o mais misterioso. Era um exímio guerreiro tanto com a espada quanto com a lança, além de ter um grande talento com magia. Conhecido por usar uma armadura completa, sem tirar ela uma vez sequer. Seu rosto nunca foi revelado, visto que ele usava sempre seu elmo. Não se sabe muito sobre o que aconteceu com ele depois da guerra. Portador da maldição da Ira.


 

Um pensamento infantil

⌈Fuu…⌋

Soltando um longo suspiro, eu olhei para o espaço ao meu redor. Um corredor formado por prateleiras de livros. Uma luz vindo do caminho a frente, que tinha uma interseção, provavelmente de uma vela.

Dando uma breve olhada nos livros, pude identificar facilmente vários que já tinha lido. Livros velhos, livros novos, livros bem e mal conservados.

O cheiro da tinta e mofo impregnava o ar e as prateleiras que seguiam até onde a luz permitia ver eram algo hipnotizante. Embora outras pessoas pudessem dizer que aquele lugar mal iluminado e ‘fedido’ não era um bom lugar para se ficar por mais tempo do que o necessário para pegar o livro desejado, eu encontrava um estranho prazer na estadia ali.

Muito provavelmente porque eu nasci para estar em um lugar como esse. Minha vida é dedicada aos livros. Me atrevo até a dizer que minha própria existência só tem sentido quando estou perto deles.

Cada livro.

Cada página.

Cada palavra.

Cada ideia criada e transcrita trás mais luz a minha vida.

E, no entanto, estou com uma incomum expressão negativa, mesmo estando aqui.

Tudo devido ao motivo de estar aqui, que só me trazia mais irritação por estar me privando de me contentar neste santuário.

Tendo tais pensamentos, eu prossegui em direção a luz que eu via em minha frente.

E ali estava. O motivo pelo qual fui mandado aqui.

Cabelo castanho arrumado em duas tranças, com um pouco de poeira nele oriunda dos livros. Olhos verdes que refletiam a luz da vela ao seu lado com um brilho cativante encaravam através de seus óculos as páginas de um pequeno livro, de adequado tamanho para suas mãos.

No entanto, ela segurava o livro apenas com uma, mantendo a outra sobre um objeto em seu colo. Uma cabeça.

Mais precisamente, a cabeça de um homem, que estava dormindo, usando o colo dela como travesseiro.

Ela passava sua mão pelos cabelos desgrenhados do homem, parando apenas onde surgiam o que pareciam ser orelhas de um animal brotando de sua cabeça.

Quando a pequena mão dela chegava nas ditas orelhas, ela se contraia um pouco, mostrava um possível desejo de tocá-las, mas logo resumia sua tarefa, embora que sem resultado, de arrumar o cabelo dele.

Enquanto isso, a pessoa em questão permanecia dormindo e não parecia que iria acordar tão cedo.

Diante de tal cena, mantive meu rosto o mais sério o possível.

⌈Falmiria. Você tem noção de que foi chamada por Touv, não tem?⌋

Não querendo enrolar, fui direto ao ponto, falando num tom alto e claro. É lógico, não me importei com o homem dormindo. Provavelmente ele não iria acordar. Se acordasse seria ainda melhor, já que ele era a raiz do problema.

⌈Eu tenho. Mas Touv apenas me convidou, não é mesmo?⌋

Não erguendo sua visão, a garota, Falmiria Al’hard, permaneceu lendo enquanto me respondia calmamente.

⌈Pode ser assim, mas seria educado ao menos avisar com antecedência que iria faltar, ou melhor, apresentar uma justificativa plausível.⌋

⌈E não ficou claro o suficiente o porquê de eu não ter ido? Ou vai dizer que a conversa não seria sobre o Omos?⌋

Finalmente olhando em minha direção, ela fechou o pequeno livro, porém, não parou sua mão.

Assim como ela disse, Touv, nosso superior, o diretor dessa academia, havia a convidado para tomar um chá e conversar com ele.

O assunto era Omos Al’hard, o irmão mais velho de Falmiria e senhor da cidade de Al’hard. Mesmo sendo aquele que ajudou a construir a academia, não tinha o menor senso de responsabilidade em relação a ela. Ainda mais, porque a academia não gera os mesmos resultados que antes, a verba que ele manda esta aos poucos sendo cortada.

Para evitar algo como a completa extinção da ajuda monetária da cidade para a academia, ela foi chamada para tentar conversar com ele, visto que era próxima a ele, sendo sua irmã.

Mas ela parecia se opor inflexivelmente a ideia de conversar com seu próprio irmão.

⌈Você não está errada. A conversa era, certamente, sobre seu irmão. Sendo isso, por que se recusou a ir?⌋

Ouvindo isso, ela olhou para mim com uma expressão complicada, um misto de tristeza e amargor. Sua mão finalmente parou e ela a levou ao seu óculos para o ajeitar em seu rosto.

⌈Omos… ele… deve me odiar…⌋

Baixando a cabeça, ela cuspiu essas palavras com dificuldade.

⌈Apesar de ser mais velha que ele… eu, que deveria cuidar dele depois que nossos pais morrerem, eu…. Só abandonei ele, uma criança, para governar.⌋

⌈Você era uma criança também, se não me engano tinha 9 anos. Por que ele iria te odiar?⌋

⌈Eu tinha 9, mas ele tinha 6…. Como você espera que uma criança como ele se sentiria? Perdendo seus pais e tendo o que restou da sua família o abandonando?⌋

⌈Não sou capaz de entender tais sentimentos. Desculpe por perguntar demais.⌋

Vendo que ela não estava muito confortável com o assunto, decidi não o forçar mais o assunto, me desculpando.

Há 20 anos atrás, uma tragedia tinha caído sobre a casa Al’hard, levando o pai, mãe e filho mais velho da casa, deixando um par de crianças de 9 e 6 anos para trás.

A filha mais velha havia desistido de seu direito de sucessão e, embora não tenha perdido seu nome, perdeu todo o resto. Inclusive seu irmão.

O pequeno garoto foi pego no meio de uma briga de cães pela sua tutela, todos em busca da autoridade que teriam com isso.

Dizer que ele não se importaria com isso ou que ele não iria guardar rancor da sua irmã, mesmo que efémero, não era nada além de mentiras.

⌈E então, que livro seria esse que está lendo?⌋

Voltando minha atenção ao livro, eu demonstrei interesse nele ao mesmo tempo que tentava mudar de assunto.

Expressando um sorriso torto, ela olhou para mim enquanto mostrava a capa do livro.

⌈’Raiver o Bardo e outros contros’… ⌋

Enquanto ela anunciava, eu suspirei.

⌈Então você não foi falar com Touv para ler contos de fadas? Que estupidez.⌋

Ainda sorrindo, ela voltou a passar sua mão no cabelo do homem enquanto repousava o livro sobre a comoda que abrigava a vela.

⌈Estupidez… pode ser verdade… mas eu acho essa estupidez bem charmosa.⌋

⌈Como seria?⌋

⌈Raiver o Bardo, um amor que supera até a morte. Raen, o fazendeiro que venceu um mostro num jogo para salvar sua filha. Aeren, a garota que era tão amada pela terra, que quando morreu, se tornou uma arvore que alcançava os céus.⌋

⌈Tudo isso parece incrível, para não dizer impossível.⌋

⌈Não é? Mas eu gosto disso… se não tentarmos correr atrás do impossível, nos acostumamos a apenas caminhar. Com o tempo, acabamos sentando porque nosso tempo acabou. Todos no mesmo ponto, mas alguns com sorrisos, outros não.⌋

Agora usando suas duas mãos para arrumar o cabelo do homem, ela falou isso, sem olhar para minha direção.

Suspirando, eu olhei para ela uma ultima vez antes de começar a sair, murmurando.

⌈Isso parece um pensamento bem infantil.⌋

Deixando isso dito, sai de lá, sem olhar para trás.


 

Bem, não dei nenhuma descrição muito grande sobre os heróis porque verão nos livros.

BTW, espero que possam estar dando suas opiniões sinceras sobre a história curta, e se eu devo ou não continuar a postar elas junto dos updates.

Estamos progredindo aos poucos….

Eu dei uma pausa na parte de escrever as coisas…

Por que?

Porque chegou numa parte delicada… Tanto pensar nos experimentos para que se possa aprender a partir da prática, de forma que possam entender, quanto já organizar, quem sabe, as aulas a provas.

Bem, também tem o fato de que a partir desse ponto terão matérias muito mais complicadas para eu poder organizar de forma aceitável…

Enfim, quando eu terminar de pensar, tudo vai pro papel… bem, não exatamente papel, mas vocês entenderam…

Enfim, mais um pedaç(ã)o de plot.


O mundo de Viltar é habitado por indivíduos especiais conhecidos como magos.

Essas existências tem a capacidade de moldar os seus arredores ao seu comando e de acordo com seus desejos.

No entanto, quem existe para os controlar?

Em Viltar, cinco forças maiores são conhecidas por exercerem comando sobre os magos, embora algumas tenham mais influencia que outras.

Torre da Tríade

Primeira organização de magos a ser criada pelos humanos modernos, a Torre da Tríade é a organização fundada pelos três Sábios da Alvorada no amanhecer da nova era. Além de ser uma das mais velhas organizações de magos, ela é a mais tradicional e influente em toda Viltar.

Seu nome vem de sua divisão primaria dos praticantes de magia, sendo categorizados como Magos, Alquimistas ou Artesãos Mágicos.

Cada facção da Torre da Tríade tem suas próprias politicas e regras, além de alto nível de autonomia. No entanto, todas as facções estão sujeitas as regras gerais da torre.

Ela divide seus Ranks em, do menor ao maior:

Malkuth
Yesod
Hod
Netzach
Tiferet
Gevurah
Chesed
Da’at
Binah
Chochmah
Keter

Nome: Agnor Gnareich
Função: Fundador e Líder da Facção dos Magos
Idade: 89 anos
Detalhes: Um dos fundadores da Torre da Tríade, além de um dos Sábios da Alvorada.
O ultimo a sobreviver dos três. Mesmo com o passar dos anos e inovações da magia, ele se manteve firme nos pilares que deram inicio a ela, com uma postura extremamente conservadora sobre a mesma. Um dos únicos a alcançar o Rank de Keter. Sua aparência é a de um esqueleto humano, com barba e cabelo grisalho longo.

Nome: Crand Tareth
Função: Líder da Facção dos Artesãos
Idade: 54 anos
Detalhes: Aprendiz do ultimo líder da facção, ele herdou o posto depois da ‘calamidade dos magos’, que resultou na morte do mesmo. Calmo e receptivo, assim como seu antecessor, ele faz jus a fama dos artesãos de serem os mais aceitativos a novas coisas na torre. Apesar de sua idade avançada, ele tem uma aparencia bastante jovem, com cabelos castanhos bem cortados e barba bem feita. Mesmo sendo um artesão, não passa muito tempo trabalhando devido ao seu cargo, tendo que lidar com papeis a todo instante.

Nome: Lio Alishor
Função: Líder da Facção dos Alquimistas
Idade: 19 anos
Detalhes: Mais novo dos líderes e neto do fundador da facção, que tem como peculiaridade a sua liderança hereditária. Apesar de se chamar de líder, a facção dos alquimistas nunca teve um verdadeiro ‘líder’, sendo presidida por um conselho entre as quatro maiores famílias de alquimistas. Lio é um jovem enérgico e entusiasta sobre alquimia, podendo falar por horas sem descansar sobre seus experimentos. Assim como seu pai e seu avô, Lio tem a pele castanha, característica dos habitantes do deserto de Ha’arad, e cabelos negros.

Nova Ordem

A Nova Ordem é uma organização originada depois da famosa ‘calamidade dos magos’, evento em que o mundo começou a ter suas duvidas sobre o controle que a Torre da Tríade realmente exercia sobre os magos.

Ela é formada pelos auto denominados ‘novos magos’, que estão sempre em busca de pesquisar coisas novas sobre a magia.

Sua especialidade é a Tecnomagia, que desenvolveu em conjunto com outras raças aliadas aos humanos.

Os Ranks na Nova Ordem são:

Aprendiz
Adepto de Terceira Classe
Adepto de Segunda Classe
Adepto de Primeira Classe
Mestre
Grão Mestre
Arquimago

Nome: Rassaeln Florener
Função: Arquimago-mor da Nova Ordem
Idade: 128 anos
Detalhes: Chamado também de ‘Grão Arquimago’, Rassaeln foi um dos principais idealizadores da Nova Ordem e também aquele escolhido para liderar ela. Mesmo que a maioria dos integrantes da Nova Ordem serem seres humanos, ele é um anão. Sempre coberto de trabalhos para fazer, ele não tem tempo o suficiente para poder visitar sua antiga aprendiz, que considera como neta, em Al’hard. Sua aparência é a de um anão já em seus últimos anos de vida, porém, que ainda mostra uma pequena chama de juventude.

Nome: Isolla Kreashon
Função: Assistente pessoal de Rassaeln e Arquimaga
Idade: 29 anos
Detalhes: Uma das pessoas mais novas a chegar ao nível de Arquimago. Uma humana vinda das terras ao norte, além da cadeia de montanhas. Seu talento para magia é tão forte quanto sua personalidade, sendo evidente em seus longos discursos reprovativos aos magos novos. Sua pele é extremamente pálida, seu corpo tem as medidas perfeitas, seus cabelos, que vão todo o caminho até sua cintura, são negros e arrumados em uma enorme trança e seus olhos são azuis claros. Mas, apesar de sua aparência, ela está lutando para tentar não se tornar uma ‘maga’, devido a sua inexperiência em certas áreas.

Sacro Exercito de Alter

Um dos mais antigos a serem fundados, o Sacro Exercito de Alter era a força principal de batalha nos tempos da Era Antiga. Sua decaída depois da morte das linhas de mana o levou ao esquecimento, sendo substituído pelo Novo Exercito de Alter, uma força não dependente de magia para lutar.

No entanto, com o retorno da magia ao mundo, o Sacro Exercito foi restaurado e colocado para começar novamente suas atividades sem perda de tempo.

Extremamente conservadores, orgulhosos e xenofóbicos, os membros dessa força são reconhecidos como soldados do mais alto nível, usando ferramentas mágicas otimizadas para a guerra.

Os Ranks são divididos em:

Soldado
Cabo
Sargento
Sub-tenente
Aspirante
Tenente
Capitão
Major
Tenente-Coronel
Coronel
General
Marechal
Grão-Marechal

Nome: Deaanos Aetorus
Função: Grão-Marechal do Sacro Exercito de Alter
Idade: 37 anos
Detalhes: Um humano de meia idade. Primeiro a chegar a um cargo tão alto na nova era. Ele carrega um grande orgulho, além de um preconceito tão grande quanto com as raças não humanas, em especial os demônios. Sua determinação o fez cravar seu caminho de nobre caído para o supremo comandante do maior exercito humano do mundo. Tem cabelo e barba cortados adequadamente, ambos com coloração vermelha, e um rosto severo.

Conselho de Isaela

Conselho formado entre as raças aliadas estacionadas na cidade de Isaela. Serve como intermediário das raças, além de reger as leis a serem seguidas pelas raças aliadas.

Tem como apoiador o próprio governo de Alter, embora não tenha tanta visibilidade quanto é desejado.

Diferente dos demais, tem mais função diplomática e pacificadora.

Nome: Drei
Função: Representante do Conselho de Isaela
Idade: 172 anos
Detalhes: Um dos únicos dynwods presentes na nova era, além de ser um dos mais velhos. Devido a sua idade, não tem mais o vigor de antes, preferindo permanecer em sua sala sentado enquanto lê e relê livros. Sua aparência se assemelha a de um humano comum vindo do deserto de Ha’arad, no entanto, vendo a presença de um pequeno chifre em sua testa, é possível dizer que ele é um membro da raça dynwod, que era conhecida por dedicar sua vida a guerra, artes e ciência.

Torre de Thennas

Embora seja listada como uma das organizações influentes para os magos, a Torre de Thennas não é exatamente isso.

Até o presente momento, nenhum membro de outra raça a não ser a dos nefilin pôs os pés na torre.

Uma estrutura gigantesca, com formato que se assemelha a de uma torre, no entanto consegue transcender o conceito de uma. Uma fortaleza voadora feita para o único propósito do estudo da magia. A Torre de Thennas na verdade é o ultimo dos primeiros filhos, que acreditavam estar extintos.

Dentro da mesma estão guardados incontáveis segredos da era antiga, além de todos os conhecimentos sobre magia que os nefilin foram capazes de obter. Segundo dizem, possui até mesmo conhecimentos exclusivos sobre e pertencentes aos primeiros filhos.

Nome: Alyrael Aralin/Thennas
Função: Hierarca da Torre de Thennas
Idade: 1054 anos
Detalhes: Também conhecido como Guardião do Conhecimento Divino e Primeiro Nefilin, Alyrael Aralin foi o primeiro nefilin a nascer, além de ter sido o primeiro Rei dos Nefilins e Supremo Comandante dos Três Anéis Celestiais. Conhecido por ter sido um dos únicos a manter conversações diretas com os primeiros filhos. Em seu leito de morte, ele foi visitado por Thennas, o ultimo dos primeiros filhos, ainda em sua forma humanoide. Formando um contrato com ele, ambos ligaram as suas almas e Thennas decidiu se integrar ao antigo palácio pessoal de Alyrael, o que hoje é conhecido como Torre de Thenas. Sua aparência é a de um velho de barbas longas e grisalhas, traços suaves tanto no corpo quanto na mente e olhos dourados com formações mágicas que parecem encarar a sua alma. Além de possuir o circulo mágico flutuando sobre sua cabeça, pode invocar um segundo em suas costas, atrás de seus três pares de asas.

Estou tentando

fazer o mais rápido o possível, mas é mio complicado.

Enfim, eu estou quaaaaaase acabando todos os conteúdos para o primeiro ‘ano’, então logo logo estarei com mais dificuldade para fazer os conteúdos.

Por que?

Bem, eu vou tentar fazer das coisas mais complexas ou abstratas, além dos textos mais longos e ricos, visto que meus livros para o primeiro ano fora uma decepção…

De qualquer jeito, mais um daqueles conteúdos aleatórios e não tão úteis.


 

1224 A.F. – Suposto ano em que os primeiros habitantes do mundo foram criados, os chamados primeiros filhos.

1222 A.F. – Criação da primeira cidade. A cidade franca de Fraenchn, habitada pelos primeiros filhos.

1221 A.F – Os primeiros filhos começam a criar as raças, dando origem aos humanos e elfos.

1218 A.F – Os humanos e elfos começam a conviver pacificamente. Inspirados por isso, os primeiros filhos começaram a criar novas raças a partir deles, dando origem à todas as demais raças, incluindo as raças dos demônios, na época chamados de ultimos filhos.

1198 A.F – As raças começam a se expalhar pelo mundo, definindo seus reinos e criando suas cidades. Primeiros filhos partem para seu descanso.

1187 A.F. – Pequenos atritos começam a surgir entre elfos e outras raças, os levando a se isolar nas florestas.

1185 A.F. – Os ultimos filhos começam a ser excluidos pelas outras raças, os levando a ficarem isolados no noroeste do continente e ilhas.

1174 A.F. – Começa a construção da cidade de Alter, com ajuda da recém descoberta magia.

1171 A.F. – Pequenos reinos das raças dos ultimos filhos começam a se aliar aos poucos.

1165 A.F. – É concluida a construção de Alter, fundando assim o Reino Humano Unido de Alter, que começa a expandir seus territorios.

1134 A.F. – O expansionismo humano força as outras raças para as bordas do mundo.

1131 A.F. – Pequenos conflitos começam a surgir entre os humanos, gigantes, dragões e dynoltywods.

1126 A.F. – Elfos declaram guerra contra os humanos. Dragões se isolam nas montanhas ao norte. Gigantes buscam abrigo em suas cidades nas montanhas ao noroeste, se aliando aos ultimos filhos.

1124 A.F. – Anões se unem a frente unida com os elfos. Dynwods começam a atacar os humanos pelo sul.

1119 A.F. – Teriantropos se unem em um único reino, bem como os demônios. Humanos forçam os dynwods a recuar, mas não consegue para o avanço da frente unida.

1117 A.F. – Começa o cerco a Alter. Estando cercados por inimigos, outros nobres também não conseguem ajudar a quebrar o cerco.

1116 A.F. – Humanos conseguem quebrar o cerco da frente unida com ajudar de seus magos.

1115 A.F. – Tratado de paz é assinado na cidade de Isaela, que passou a abrigar a embaixada entre a frente unida e os humanos.

1113 A.F. – Com o apoio de alguns integrante da raça dos dragões, os últimos filhos lançam um ataque total aos territórios das outras raças.

1109 A.F. – Os teriantropos se juntam a guerra ao lado dos últimos filhos, agora chamados de demônios.

875 A.F. – As guerras constantes ainda afetam ambos os lados. Os primeiros filhos despertam de seu descanso.

871 A.F – Após a intervenção dos primeiros filhos, a guerra entre os dois lados termina, iniciando um longo período de paz. Ao invés de voltar a dormir, os primeiros filhos decidiram continuar auxiliar as raças.

856 A.F. – Um primeiro filho tem relações com uma humana, dando origem aos Nefilins.

654 A.F. – Os nefilin crescem em número, escondidos das outras raças em suas ilhas flutuantes. Longe da influencia das outras raças, eles criam uma cultura e reino próprios.

543 A.F. – Não satisfeitos com o controle dos primeiros filhos por tantos anos, os humanos e a frente unida resolvem se revoltar contra eles.

487 A.F. – Depois de longos anos de luta, o ultimo primeiro filho é morto. Junto com eles, a maioria das linhas de mana do mundo desaparece enquanto as outras se tornam mais finas e fracas.

424 A.F. – Tendo sua magia enfraquecida, os humanos não tem mais tanto poder quanto antes. Demônios lançam mais uma investida contra os humanos, desta vez mais forte que a ultima.

385 A.F. – A cidade de Alter finalmente cai, sendo totalmente destruída. O reino humano é dissolvido.

382 A.F. – Demônios recuam sob ameaça das outras raças. Humanos são capazes de voltar a suas cidades, que agora são apenas ruínas, mas não conseguem estabilizar sua situação ainda.

366 A.F. – Novo Reino Humano de Viltar fundado, com sua capital sendo as ruínas de Alter.

345 A.F. – É constatada a morte oficial das linhas de mana. Sem a magia, não apenas os humanos, mas também as outras raças, entram em declínio. Junto a isso, começam as guerras de persegui

234 A.F. – As três raças ancestrais decidem se retirar dos reinos por hora, indo para o norte, se isolar em seus respectivos territórios. Os integrantes dessas raças são: Gigantes, Dragões e Dynwods.

112 A.F. – As raças começam a se recuperar do choque que foi perder a magia completamente e iniciam seu lento retorno.

0 D.F. Fundação da nova do Reino Humano de Viltar, Nova Alter.

13 D.F – Linhas de mana começam a se restaurar gradativamente, porém a maior parte do conhecimento sobre magia foi perdido durante o grande declínio das raças.

54 D.F. – Os nefilins descem às raças.

60 D.F. – Aliança entre todas as raças não-demoniacas é criada.

62 D.F. – Com auxilio dos Nefilins, as raças começam a recuperar um pouco dos conhecimentos sobre magia, embora que instáveis.

71 D.F. – A igreja da Luz Sagrada começa a guerra de perseguição contra os praticantes da nova magia, bem como aos nefilins, que mancham a imagem dos seres divinos do passado.

72 D.F. – Temendo pelo pior, os nefilins decidem oficialmente deixar as terras das raças e voltar para sua casa.

84 D.F. – O período de perseguição termina com o fim da igreja da Luz Sagrada, sendo dissolvida pelo Reino Humano e nova igreja.

127 D.F. – Os sábios da alvorada reavivam os estudos sobre magia, desvendando alguns dos mistérios da velha Alter.

130 D.F. – É finalizada a construção da Torre da Tríade.

154 D.F. – As raças dos demônios lançam um terceiro ataque as raças. Isso inicia uma longa serie de conflitos, principalmente entre humanos e demônios.

162 D.F. – Depois de alguns anos de guerra, os humanos obtém vitória graças ao grupo conhecido como os sete heróis.

174 D.F. – Começa uma grande quantidade de disputas territoriais internas no Reino Humano.

176 D.F. – Ocorre a temida ‘Calamidade dos Magos’. Depois dela, a Torre da Tríade começou a tentar expandir seus territórios o máximo o possível.

180 – As raças ancestrais mostram sinais de que estão próximas a retornar, bem como os nefilins. Estranhas inconstâncias magicas são identificadas no mar ao sudoeste do mundo.

196 D.F – Ano atual


Muitos furos e pulos porque se eu fosse explicar tudo mesmo, seria meio… longo até demais.